terça-feira, 16 de setembro de 2008

O Concorrente

"Última Parada 174" será o filme brasileiro que irá disputar uma das 5 indicações ao Oscar de melhor filme em língua estrangeira em 2009. Como muitos já devem saber, o longa, dirigido por Bruno Barreto, trata da vida de Sandro Nascimento, o responsável pelo assalto ao ônibus da linha 174, do Rio de Janeiro, exibido em rede nacional de televisão. Já adianto que a premissa do filme não me agrada. Barreto colocou elementos fictícios ao narrar a história de Sandro Nascimento, meio que para tornar a mais do que pesada história do rapaz em algo mais palatável e comercial. Ou seja: vai tentar travestir uma ficção por realidade. Não tenho qualquer simpatia por isso. Ainda não vi o filme, claro, mas de antemão já recomendo a todos verem "Ônibus 174", o impecável documentário de José Padilha sobre os mesmos eventos. Pelo menos assim todos já terão uma referência a ser tomada.

O filme escolhido etréia em circuito nacional no dia 24 de outubro. E sobre Liha de Passe, segue abaixo a justificativa de sua ausência, dada pelo próprio Walter Salles no site oficial do filme (trechos):

“Participar da campanha pelo Oscar de melhor filme estrangeiro é um processo mais complexo do que parece. Já percorri essa estrada e sei que sem uma dedicação de vários meses, as chances de um filme selecionado por um país chegar à final e possivelmente ganhar são escassas. (...)

Uma campanha realmente competitiva para o Oscar começa nos prêmios que são outorgados no final do segundo semestre pelo National Board of Review, a mais antiga associação de críticos dos Estados Unidos, e continua com os prêmios da crítica especializada das maiores cidades daquele país. Para cada um desses eventos, é necessário apresentar o filme, realizar debates, fazer dezenas de entrevistas desde meados do segundo semestre.

Em anos especialmente disputados, lançar o filme nos Estados Unidos até outubro ou novembro é um trunfo importante. Quando Central do Brasil ganhou o prêmio de melhor filme estrangeiro do National Board of Review em dezembro de 1998 e depois o Globo de Ouro, já tínhamos lançado o filme nos Estados Unidos e realizado dezenas de debates através do país. Roberto Begnini, que ganhou o Oscar em março de 1999, lançou o seu filme ainda mais cedo, mudou-se para Los Angeles e passou vários meses em campanha. (...)

Para fazer algo pela metade, é melhor não fazer. Se tivéssemos inscrito Linha de Passe e ganhado a indicação do Brasil, não teríamos como representar o país com a responsabilidade que se faz necessária. Agradecemos a todos que torcem pelo filme e desejamos o melhor ao longa brasileiro que for escolhido pela comissão.” - Walter Salles
Blog Widget by LinkWithin

2 comentários:

Peru disse...

Também não gosto quando pegam uma história real e inventam um monte de merda pra poder tirar um filme dali.

Só espero que não tentem transformar a história do cara numa versão de "o que a sociedade malvada obrigou o coitadinho sem oportunidade a fazer"

---

Muito bom o comentário do Wlater Salles. Odeio como a mídia da importância não apenas a indicação ao Oscar de Filme Estrangeiro, mas a escolha da fita.

De antemão já dá pra dizer que não vamos ter nenhum representante na disputa desse ano e não precisa nem ir tão longe quanto o Walter Salles: o fato é que pra um filme conseguir a indicação ele tem que se destacar no circuito internacional e ninguém teve muito êxito nesse sentido.

O pior é que quando o Brasil consegue a indicação fica aquele clima bobo de "torcida" nas transmissões do Oscar, como se fosse uma partida de futebol, como se o Brasil fosse receber o prêmio, como se o cinema nacional fosse beneficiado automaticamente pela conquista.

E quando "Cidade de Deus" recebeu quatro(!) indicações pro Oscar, inclusive a de Melhor DIretor(!!! - do caralho!) cagaram e andaram...

Fábio Henrique Carmo disse...

Eu até fico me questionando porque "Tropa de Elite" não entrou na parada. Ele teve sua carreira internacional iniciada já agora em 2008 e, para que um filme seja concorrente ao Oscar, basta que ele tenha sido exibido em solo norte-americano até 31 de dezembro. Ele teria bem mais chances, já que faturou o Festival de Berlim.

Na minha opinião, o maior reconhecimento que o cinema brasileiro já teve foram justamente essas 4 indicações de "Cidade de Deus". Fernando Meirelles foi indicado para diretor concorrendo com Peter Jackson e o seu "O Retorno do Rei". Simplesmente sensacional!